Arquivo do mês: setembro 2015

Viszontlátásra. /Até outra vista.

Queridos amigos,

A partir de hoje este blog entra em recesso por tempo indefinido.

Neste momento da história não me sinto inclinado a escrever nada sobre a Hungria.

Por outro lado vou continuar lendo e amando as obras de autores de origem húngara, que produziram e ainda produzem uma das literaturas mais importantes da Europa, e vou continuar amando a estranha língua em que eles escreveram; às vezes, como no caso de Márai Sándor, muitos livros escritos no exílio, durante a vida do autor como refugiado em um país estrangeiro, destino de tantos e tantos milhares de outros filhos da Hungria, que formam a grande diáspora de língua magiar mundo afora; mas também – caso imensamente mais triste – livros escritos por grandes autores que foram aniquilados pela intolerância e o racismo de parte de seus próprios compatriotas em aliança com o pior que a Europa conheceu no século XX, como no caso de Szerb Antal, e Radnóti Miklós, para ficar apenas em dois dos meus mais conhecidos e favoritos, por que a lista dos intelectuais e artistas vítimas do nazi-facismo na Hungria é extensa demais pra caber num post de despedida.

Agradeço de coração a todos os amigos e amigas que durante estes anos  têm me honrado e alegrado com sua leitura, com seus comentários gentis, generosos e encorajadores, e com sua amizade.

Quem sabe voltemos a nos ver aqui mesmo em outro momento.

Não estou ‘matando’ o blog, o que já partilhamos aqui vai continuar disponível neste endereço, e eu continuarei atento a quem me procurar por aqui com alguma pergunta ou dúvida que esteja ao meu alcance esclarecer.

Um abraço fraterno,

Chico

Anúncios

8 Comentários

Arquivado em Uncategorized

crédito de nova foto

Não resisti e copiei a bela foto ‘cartão postal’ de Budapeste acima que encontrei no site Let’s learn Hungarian

Para quem nunca foi lá, a foto deve ter sido tirada da Margít híd, a Ponte Margarida, e tem o prédio neo-gótico do Parlamento do lado direito, em Pest, a Lánc híd, a Ponte das Correntes sobre o Duna/Danúbio, e o Budai Vár, o Castelo de Buda, na direita.

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized