Poesia nas vidraças de Debrecen*

Nos últimos dias vêm aparecendo poemas e versos escritos nas vidraças de lojas, bancos, bares e instituições públicas de Debrecen, cidade do nordeste da Hungria onde morei no final dos anos 90, como alguns devem lembrar de outros posts.

Nas janelas da Escola Secundária de Música estudantes de Comunicação da Universidade de Debrecen escreveram o longo Bartók, poema de Illyés Gyula escrito em 1955 e dedicado ao célebre músico e compositor, também conhecido, sobretudo na Hungria, por sua extensa pesquisa da magyar népzene, a rica música de raiz popular magiar.

Surgiram também, por exemplo, versos de Petőfi Sándor na vitrine de uma loja de bolsas, e algumas linhas de Ady Endre decorando a vidraça de um banco. 

“Preparamos esta ação através de contatos pessoais diretos. Os proprietários de estabelecimentos comerciais receberam bem a ideia, assim como os dirigentes das instituições culturais”, afirma Vranyecz Tünde, responsável pela organização.

Imagem

 

O objetivo da iniciativa, inédita na Hungria, é aproximar, pelo impacto e surpresa, a poesia das pessoas em geral. E a poesia trazida para as ruas vem agradado os pedestres.

“Estamos chamando a atenção para o Festival de Poesia de Debrecen, que começa na próxima semana. Gostaríamos de vestir a cidade de poesia”, revela Kovács Béla Lóránt, diretor da Biblioteca Méliusz.

Até agora as citações poéticas já se espalharam por mais de cinquenta pontos da cidade, e deverão permanecer nas vitrines do centro de Debrecen até o final de abril.

*Adaptado do artigo “Líra az utcán: versek díszítik a debreceni kirakatokat” do site de notícias DEHIR: "http://www.dehir.hu/debrecen/lira-az-utcan-versek-diszitik-a-debreceni-kirakatokat/2014/04/02/

via twitter @molyhu

Anúncios

4 Comentários

Arquivado em Uncategorized

4 Respostas para “Poesia nas vidraças de Debrecen*

  1. Gostei do artigo. É inspirador.

  2. Republicou isso em Purgly's Bloge comentado:
    Artigo muito interessante sobre uma ideia simples porém inédita.

  3. Adorei este artigo, porém estou a procura de bordados hungaros em São Paulo. Alguém pode me informar? Sou neta de hungaros e adoro toda a cultura deste povo. Grata Susana.

    • Chico Moreira Guedes

      Szia Susana, obrigado pela visita. Fico contente que tenha gostado do post da poesia nas vidraças de Debrecen.
      Quanto aos bordados, espero que algum/a dos amigos/as do blog possam lhe ajudar.
      Abraço

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s