Budapeste, o filme

Saiu o trailer oficial do Filme de Walter Carvalho baseado em Budapeste, o romance de Chico Buarque. Tenho que confessar que não consegui passar da metade do livro, que não me conveceu literariamente. Mesmo assim estou muito curioso pra ver o filme e, pelo trailer, sei que vou sentir muitas saudades de Budapeste. Aliás, desconfio que a combinação num filme só de Rio e Budapeste, meus dois urbiamores, vai dar em choro na certa pra mim.

A tomada inicial é feita de Buda, descendo o bondinho do plano inclinado que leva ao Budavár, o Castelo de Buda, e olhando pra Peste com a Lánchíd, Ponte das Correntes (lánc = cadeia, grilhão, corrente + híd = ponte. Pron. láánts-hííd) à frente.

Notem a cena em que eles conversam numa livraria. Foi filmada na Írók Boltja, a livraria que foi tema doutro post. E depois dessa cena eles aparecem correndo pela calçada da Andrássy út, num trecho onde eu bati muita perna, entre a Írok Boltja e a filial Andrássy da Alexandra, uma cadeia de livrarias importante de Budapeste, e que tem um café bem simpático.

É bem engraçado também ouvir o samba cantado em magiar. Prestem atenção no primeiro trecho do samba, quando vai surgindo o título grande: BUDAPESTE. As ultimas palavras são hideg sört, cerveja gelada.

A propósito, quem me chamou a atenção pra esse trailer foi meu amigão Edu Seabra, que mora em Budapeste e mantem um blog chamado Megvilágosodás, autoiluminação, no sentido espiritual, de Nirvana. A raiz da palavra é világ, que significa ao mesmo tempo”luz” e “mundo”, o que eu acho uma relação fascinante. Világos é “claro”, contrário de escuro, megvilágosít é iluminar, transitivo, e megvilágosodik é iluminar-se, encher-se de luz, daí vem megvilágosodás, o substantivo. E o meg? Bem, meg é chamada no jargão linguístico de “partícula perfectiva”, e em geral é usada junto dos verbos pra indicar a realização efetiva da ação, mas isso não é toda a história dessa palavrinha, cujo uso perfeito é um segredo bem guardado dos falantes nativos do magiar.

O link pro Megvilágosodás de Edu Seabra consta da minha lista de links, aí ao lado.

Ah, uma novidade bem legal: o Conselheiro da área Cultural da Embaixada da Hungria no Brasil, sr. Dudás Mihály gentilmente incluiu o HungriaMania numa lista de links brasileiros sobre a Hungria no site da Embaixada. Fiquei muito honrando e contente. Quem quiser conferir tá no http://www.mfa.gov.hu/kulkepviselet/BR/pt/br_info/brasileiros_sobre_a_hungria.htm

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Uncategorized

2 Respostas para “Budapeste, o filme

  1. Edu

    Chico,

    Köszönöm szépem a kedves szavaid!
    Não vejo a hora de ver o filme Budapeste! O livro eu li morando aqui na cidade e confesso que só fui gostar na minha segunda tentativa, e quando gostei, gostei muito.
    Não espero muito do filme, mas acho que qualquer pessoa que tem essa relação de amor com Budapeste e Rio terá um motivo a mais pra assistir!
    Curiosidade: Tive a sorte de presenciar a gravação de uma cena do filme proximo a Astoria, poucas semanas depois de minha chegada aqui. Outro motivo pra querer assistir.
    Gratulálok pela indicação do HungriaMania no site da Embaixada!
    Puszi neked!
    Edu

  2. Rodrigo Santos

    “Deveria ser proibido debochar de quem se aventura em língua estrangeira.”

    boa.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s